Gestão de Recursos Hídricos

Os recursos hídricos são utilizados em setores como: urbano, que integra usos humanos, industriais e recreação; rural, que envolve o uso da água em população rural, animais e agricultura; energia, que representa o principal uso no Brasil, a utilização em hidrelétricas; transporte, representado pela navegação usada para transporte de mercadoria e de pessoas; meio ambiente, conservação e preservação dos ambientes naturais.

Heading text

Soluções

Gestão de Recursos Hídricos.

  • Diagnóstico, gestão, plano de manejo
  • Inventário hidrelétrico
  • Gestão dos recursos hídricos superficiais em áreas industriais
  • Estudos hidrológicos litorâneos e de navegação fluvial
  • Plano de emergência para reservatórios

Gestão dos Sistemas Hídricos

Trata dos vários componentes do planejamento e gerenciamento dos recursos hídricos no espaço da bacia hidrográfica e sua interface com a gestão política, econômica e social do território. Envolvem os aspectos institucionais como legislação e gerenciamento dos sistemas, diagnóstico e planejamento dos usos da água e da sustentabilidade socioambiental, gestão dos riscos de eventos naturais ou extremos (eventos que podem produzir desastres naturais e antrópicos de inundações e secas), estratégias e metas desenvolvimento, preservação e conservação dos ambientes.

A gestão de recursos hídricos realizada pela legislação de recursos hídricos é de regulação dos usos e prevenção de impactos, não é de desenvolvimento. O desenvolvimento é realizado pelos setores da sociedade. Os três componentes fundamentais da gestão de recursos hídricos, segundo a legislação brasileira, são:

A outorga, que estabelece os critérios, controle e fiscalização do uso da água, mantendo as condições de conservação e preservação dos ambientes;

O enquadramento, que é um plano de metas para reduzir o impacto sobre a qualidade de água dos rios. O enquadramento define a classe do rio desejada como meta por trecho de rio pelos agentes da gestão. O enquadramento não é uma definição burocrática de um trecho de rio.

Redução de vulnerabilidade a eventos extremos, que trata da segurança hídrica dos sistemas. Numa determinação região, os estudos desenvolvidos geralmente estabelecem seus projetos com um determinado risco. A redução da vulnerabilidade é o planejamento destes projetos e a segurança hídrica. A segurança hídrica o planejamento de medidas de prevenção e mitigação para os eventos que estão dentro dos riscos dos projetos.

Os Planos de Recursos Hídricos são os instrumentos de execução dos objetivos e metas dos recursos hídricos. Os Planos Nacional e Estaduais estabelecem estratégias de gestão para o país e a nação e orientam os planos de bacias. Os planos de bacia desenvolvem diagnóstico, estratégias e metas para os componentes da gestão, que são a outorga, enquadramento e eventos extremos. Um plano de recurso hídricos não são plano de desenvolvimento, mas um plano de regulação.

Gestão de risco

Trata das fontes de riscos, que são a pressão sobre os projetos e áreas; sobre a sociedade que, por sua vez, exerce impacto sobre o meio ambiente; impactos devido à variação do clima; as vulnerabilidades sociais, econômicas e físicas. A gestão de risco possui dois componentes:

Projeto de controle – desenvolvimento de projetos para reduzir a vulnerabilidade econômica e social sobre os eventos extremos, como, por exemplo, a construção de um dique de proteção contra inundações, um projeto de água para atendimento da população;

Segurança hídrica – é a parte que desenvolve ações de prevenção e mitigação para eventos que atingem risco inferiores aos dos projetos. É o planejamento do que fazer quando ocorrer os eventos que os projetos não atendem.

Nos últimos anos, a tendência crescente de aumento dos desastres e das pessoas afetadas está relacionada principalmente ao acréscimo populacional em áreas de risco (áreas de inundação); aumento do crescimento urbano e pressão sobre o meio ambiente; variabilidade e mudança climática, que altera os condicionantes de convivência da população com os recursos naturais. Estes fatores combinados podem explicar a tendência observada.

Os riscos relacionados com água são principalmente devido ao efeito sobre a população e sobre o meio ambiente natural ou devido a processos antropogênicos. As fontes de riscos são a pressão que a sociedade exerce sobre o meio ambiente, impactos devido à variação do clima sobre a sociedade, as vulnerabilidades sociais, econômicas e físicas.