Simpósio da ABRH em Maceió

Na semana passada em Maceió participei do evento bianual da ABRH em Maceió (28de 11 a 1/12), onde foi possível, rever os colegas, conhecer muitos alunos e discutir recursos Hídricos. Na segunda dia 28 houve um evento denominado ¨talk show¨ , com os ex-presidentes da ABRH que foi muito bem conduzido pela diretoria atual e que permitiu criar uma nova modalidade de debate neste tipo de evento. Na sequência fiz uma apresentação e uma parte do conteúdo que apresentei vou descrever nesta e na próxima semana.
A ABRH foi fundada em setembro de 1977 num evento no Rio de Janeiro com cerca de 15º participantes. O evento de Maceió teve cerca de 1400, uma grande evolução no período. Para muitos de nós, que participou de sua criação e ver um filho mais maduro e tomando seu espaço devido na sociedade.
A Associação iniciou como um esforço conjunto de vários dos atuais ex-presidentes com o objetivo de ter um evento bianual, uma revista que permitisse discutir e promover o conhecimento na área e servir de Fórum de debate sobre o assunto. Os princípios são:
(a) divulgar o conhecimento e os interesses públicos relacionados;
(b) discutir e buscar consenso do temas estratégicos e relevantes do país;
(c) participar da gestão de recursos hídricos com base no consenso aprovado em suas cartas;
(d) criar meios de tornar a informação técnica e científica ao alcance da comunidade;
(e) ajudar a resolver os conflitos por meio dos seus Fóruns que são eventos.
Assim, ABRH não promove partidos políticos, candidatos ou lobbyes de interesse setorial e deve ter um presidente e diretoria independente, monitorado pelo conselho dos ex-presidentes.
Ao longo do tempo a ABHR mostrou pelos seus presidentes e pela aprovação de Cartas de cada evento quais os consensos pelo qual a Associação buscou trabalhar. Portanto, se alguém falar pela ABRH ou dar opinião da Associação sem que esteja dentro de suas cartas estará fazendo em seu próprio nome, não da ABRH.
A Associação nestes últimos 34 anos e meio passou pela fase puramente hidrológica-hidráulica, com forte influência do setor de energia, evoluiu na década de 80 para começar a discutir a Gestão de Recursos Hídricos, impulsionado principalmente por Flávio Barth e serviu de Fórum para consolidar os princípios da Lei de Recursos Hídricos 9433 de 1997. Nas últimas décadas tem introduzidos profissionais de todas as áreas e está ampliando seu espectro ambiental como pude observar neste último evento.
Na última década a ABRH deixou de aprovar suas cartas, que deram direção nas primeiras duas décadas. Portanto, torna-se essencial retornar este processo a discutir as questões fundamentais do país em recursos hídricos e meio ambiente. Existem vários temas que necessitam de esclarecimentos técnicos para posicionamento técnico- jurídico, que serviram de bases para workshops e seminários sobre os mesmos.

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *