Risco e variabilidade climática I

O noticiário sobre mudança climática tem sido bastante persuasivo quanto aos riscos que podemos estar correndo em função da potencial mudança climática devido ao efeito estufa. No entanto, existem muitos questionamentos sobre o assunto e as ferramentas usadas para o prognóstico deste efeito apresentam grandes incertezas (maiores que a própria variação do clima).
O que se observa em muitos lugares no mundo é o aumento da temperatura que pode ser devido ao efeito antrópico da emissão dos gases (veja o glossário do site), devido a variabilidade natural ou da comibação dos dois (mais provável). Em março deste ano a BB2 apresentou um filme chamado “The great global warming swindle” (A grande trapaça do aquecimento global”) contextando a visão (http://www.channel4.com/science/microsites/G/great_global_warming_swindle/index.html, somente em inglês) aparentemente unâmime sobre o assunto. Passei para os alunos do programa de pós-graduação do IPH o filme do Gore e o mencionado, para debate.
É interessante analisar os prós e contras do assunto, pois os meios de comunicação tem a tendência de atribuir a variação maior do clima às mudanças climáticas.
Os argumentos a favor das ações de redução dos gases são de que nao temos certeza, mas não poderemos esperar acontecer para atuar sobre a redução de emissão, o que me parece bastante correto. O que não é correto é deixar a população crente que o desastre é eminente.
Os cenários de mudança climáticas são tendências estimadas para o final do século, que devido as limitações dos modelos, podem variar muito. Alguns profissinais questionam quanto a previsão de longo prazo ( ~10-20 anos no futuro) onde necessitamos de um planejamento da sociedade e pode ser visto com mais prioridade. Os cientistas climáticos geralmente mencionam que este tipo de prognóstico é mais complexo, o que exigiria mais pesquisa quanto a variabilidade climática (inclui as tendências naturais do clima).
O conhecido economista Lomborg que escreveu “Sceptical Environmentalist” apresentou uma palestra discutindo as prioridades da sociede para os próximos anos (assista no endereço www.ted.com/index.php/talks/view/id/62).
Voltaremos a este assunto em outras semanas para discutir como estes aspectos afetam as séries hidrológicas e no final o risco sobre os usos dos recursos hídricos.

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *