Previsão sazonal dos próximos meses

A previsão do clima sempre foi e continua sendo um grande desafio, apesar de toda tecnologia e investimentos dos últimos anos. Para recursos hídricos a previsão da temperatura e precipitação, entre outras variáveis, é fundamental para agricultura, energia e disponibilidade hídrica de forma geral. No caso da energia o período atual é fundamental, pois estamos no início do período chuvoso, quando os reservatórios enchem para enfrentar o próximo período seco. As razões são as seguintes:
• A maioria dos reservatórios se encontram na região Sudeste e Centro – Oeste do Brasil;
• O período chuvoso destas regiões é de outubro a abril.
Caso este período seja de pouca precipitação o preço da energia do mercado livre deve aumentar e o custo de geração também, em função da chance de ligação das térmicas, ou mesmo racionamento como ocorreu em 2001. Esta última alternativa pode ser menor em função de uma capacidade instalada maior em relação a demanda, apesar do grande crescimento econômico deste ano.
Um dos principais indicadores utilizados para a previsão sazonal é a análise das condições de El Nino (fase quente, valores acima da média de temperatura)– La Nina (fase fria, valores abaixo da média de temperatura) que são condições de temperatura no Oceano Pacífico do ciclo do ENSO (El Nino Southern Oscillation). Existe a tendência de ocorrer maiores precipitações e vazões no Sul e Sudeste do Brasil com El Nino e com El Nina pode ocorrer sinais contraditórios.
Este ano foi um ano chuvoso no verão e mesmo no inverno, pois desde agosto-setembro de 2009 tinha um El Nino, que se dissipou em abril-maio. Atualmente estamos numa fase de La Nina e está sendo previsto para os próximos meses um período de valores abaixo da média de ( La Nina) com previsões de precipitações abaixo da média. Na figura 1 abaixo pode-se observar o resultado da previsão de vários modelos (obtido em http://oceanworld.tamu.edu/resources/oceanography-book/forecastingelnino.htm) realizado pelo IRI. A maioria dos modelos prevê temperatura abaixo da média ( La Nina) até JAS (Julho agosto setembro). Na figura 2 aabaixo mesma instituição prevê em toda a região Sul e Sudeste chuvas abaixo da média no período fevereiro a maio (figura 2 fonte: http://iri.columbia.edu/climate/forecast/net_asmt/ ).
Caso estas previsões se realizem, para o setor de energia é provável que o reservatório equivalente chegue baixo no início da estiagem tendo consequências no final de 211 e durante 2012, se este também for seco. Isto pode provocar o aumento do preço da energia no mercado livre.
Novas previsões devem ocorrer em 20 de janeiro de 2011. Como a fase de La Nina nem sempre é muito precisa, as previsões podem mostrar tendências diferenciadas nas regiões de interesse ao longo do tempo.

[photopress:pclima3.jpg,full,pp_image]

figura 1 previsão da anomalia de temperatura (valores acima ou abaixo da média) no oceano pacífico

[photopress:PCLIMA1_1.jpg,full,pp_image]

figura 2 previsão de precipitação do período fevereiro a maio

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *