Humor

Estamos fazendo uma coletânea de piadas relacionadas sobre recursos hídricos e meio ambiente para descontrair. Pedimos aos leitores do blog que nos envie o que tiverem sobre o assunto. A seguir algumas peças que conheço sobre o assunto:

1. O prefeito de Biritiba – Mirim no interior de São Paulo, em 2007, cansado com os eventos de cheia e suas responsabilidades enviou uma proposta de lei com os seguintes termos:

“Fica terminantemente proibida a ocorrência de enchentes nos bairros da cidade provocadas em razão de chuvas fortes, chuvas de granizo, tempestades com raios, vendavais e cheias do rio Paraíba do Sul e seus afluentes no município.”
Infelizmente a lei não foi obedecida pela natureza!!

2. No Brasil, quando ocorre uma inundação é declarada calamidade pública e o município pode solicitar recursos federais à fundo perdido e não necessita fazer concorrência pública para gastá-lo, por ser emergência.
Um prefeito de uma hipotética cidade brasileira que estava sendo inundada, rapidamente foi ao governador para declarar calamidade pública e, portanto se candidatar a recursos a fundo perdido. Enquanto esperava para ser recebido pelo governador, recebeu uma ligação aflita de seu assessor que falou: “Prefeito acelere os entendimentos porque o rio está perigosamente baixando de nível !!!!”
Porque prevenir se terei recursos quando ocorrer? Estou sendo maldoso ?

3. Esta piada é americana e não me lembro da fonte.
Na passagem da bíblia em que os judeus fugiam dos egípcios, ao chegar ao Mar Vermelho não podendo passar, pediram ajuda a Deus. Em seguida ouviram uma voz celestial:
“Tenho uma boa notícia e uma má notícia. A boa notícia é que eu posso abrir o mar Vermelho para que atravessem. A má notícia é que para poder abrir o mar Vermelho é necessário a aprovação do relatório de Impacto Ambiental (com audiência pública).”

4. Também não tenho a fonte desta piada. Não é de recursos hídricos, mas é estatística, muito utilizada em hidrologia
Um indivíduo viajava muito de avião e a probabilidade de ter uma bomba num avião era 1 para 1000 (muito fictício apesar do 11 de setembro). Como viajava muito a chance de em algum momento se deparar com uma bomba poderia ocorrer pelo menos uma vez (realizações). Preocupado foi consultar um falso estatístico, que recomendou o seguinte: ¨Na próxima vez que viajar leve uma bomba junto com você, pois a probabilidade de duas bombas no avião é de 1 para 1.000.000¨. Você concorda?

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

One Comment

  1. Fernando Fan

    Professor, não tenho uma piada exatamente sobre recursos hídricos, mas sei uma sobre programação, que usamos bastante para o processamento de dados e nos modelos hidrológicos:

    “Minha mulher disse:
    – Amor, vá ao mercado e compre 1 garrafa de leite. Se eles tiverem ovos, traga 6.

    Eu voltei com seis garrafas de leite.

    Ela disse:
    – Por que diabos vocês comprou 6 garrafas de leite??

    Respondi:
    – POR QUE ELES TINHAM OVOS.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *