Hidrologia do lago Vitória

O lago Vitória (~68.800 km2 de área e bacia de 193.000 km2) pertence a três países da África: Kenya, Tanzânia e Uganda. Em Uganda fica a saída do Lago e cabeceira do rio Nilo. Existem cerca de 33 milhões de pessoas na vizinhança do Lago que flutua seu nível como mostra a figura abaixo. Cerca de 82% da entrada de água no lago é resultado na Precipitação e o restante da bacia, fazendo com que o lago fique fortemente dependente do balanço vertical – Precipitação – Evaporação. Portanto, um ano seco a redução é dramática da quantidade de água, pois diminui a chuva e aumenta a evaporação e de outro lado num ano úmido ocorre justamente o contrário.
Na década de 60 houve período chuvoso que aumentou o nível do lago, que foi diminuindo com o tempo, à medida que o excedente foi sendo consumido, retornando nos dias atuais a valores próximos do período anterior a década de 60. Este comportamento é complementar ao que ocorreu no rio Paraguai em Ladario no Pantanal, onde a década de 60 foi um período seco, além disso este ano foi de seca no Paraguai e úmido na região do Lago Vitória. Estas conexões globais mostram o quanto pouco conhecemos da variabilidade climática global. No entanto, na recente pesquisa de doutorado de Daniel Allasia (IPH/UFRGS) observou-se uma forte conexão entre os níveis do rio Paraguai em Ladario com a Oscilação do Atlântico Norte que é diferença de pressão entre Portugal e Islândia. Para saber mais procure este assunto no google por NAO North Atlantic Oscillation.
[photopress:lagovitoria.jpg,full,pp_image]
Níveis do Lago Vitória

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *