Diretrizes estratégicas em recursos hídricos

Iniciei no final do ano passado uma consultoria para o CGEE Centro de Gestão de Estudos Estratégicos, uma organização social que atua no âmbito do governo Federal que foi contratada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) para atualizar o documento de Diretrizes Estratégicas do Fundo de investimento em Ciência Tecnologia em recursos hídricos chamado CTHIDRO.

O CTHIDRO foi criado em 2000 e tornou-se efetivo em 2001, depois de criado o comitê gestor e a conclusão do documento existente de Diretrizes Estratégicas. Este fundo recebe uma parte dos recursos de compensação financeira das inundações dos reservatórios que corresponde anualmente da ordem de R$ 50 milhões. Desde 2001 o fundo vem investindo em recursos hídricos em diferentes aspectos. (O comitê gestor do fundo é presidido pelo representante do MCT e tem como membros a seguinte representação: FINEP (financiadora de Estudos e Projetos), CNPq Conselho Nacional de Pesquisa), MMA Ministério de Meio Ambiente, representado pela Secretaria de Recursos Hídricos, ANA Agência Nacional de Águas, MME Ministério de Minas e Energia, representado pela Secretaria de Energia, um representante do setor de pesquisa da área e um setor empresarial.

As Diretrizes Estratégicas apresentam um panorama do setor, as principais áreas de investimento, os mecanismos de investimentos, avaliação e metas para os investimentos. Abaixo é apresentado onde é possível copiar a íntegra do documento preparado em 2001.

http://www.ana.gov.br/gestaorechidricos/tecnologiacapacitacao/docs/DiretrizesEstrategicas2002.pdf

Em 2002 e 2003 foi preparado o Plano de Plurianual de Aplicação PPA e desenvolvidas prospecções em algumas áreas estratégicas (ver abaixo onde copiar estes documentos). Depois deste período também foram realizados vários workshops com pesquisadores sobre temas de investimentos. A base do CTHIDRO é de investimento em demandas de problemas nacionais com base em editais orientados e numa parcela menor em demanda difusa.

Nos últimos anos o MCT definiu que o Fundo Transversal que atua em ações que com temas de diferentes fundos ficaria com 50% dos recursos de todos os fundos. Como também existe contingenciamento dos fundos da ordem de 50%, os recursos se reduziram muito para aplicação, mas ainda são substanciais.

No processo de revisão dos Documentos foram previstos duas consultas iniciais no setor: (a) consulta a pessoas amostradas e representativas que correspondem a cerca de 30 pessoas; (b) consulta pela internet a um universo maior possível de pessoas que possam preencher o questionário. Estamos pedindo que todos que atuam na área ou têm interesse preencham este questionário para dar o máximo possível de representatividade.

Por favor, clique no link abaixo para iniciar sua participação:

http://www.cgee.org.br/prospeccao/exercicio/delphi/pesquisa_delphi.php?pesq_id=107&email=rhamaca@gmail.com&lng=pt&ppa_id=184407&pro_id=116

Caso não consiga abrir o link, copie o endereço e cole em uma página da web. Em caso de dúvidas, entre em contato pelo consultacgee@cgee.org.br

Você não usará mais do que 10 minutos do seu tempo. Cuide que ao preencher o documento basta passar o cursor sobre a pergunta que aparecem informações sobre o assunto.

As áreas atuais e prioritárias de pesquisa são bastante gerais (ver no documento de diretrizes estratégicas). Qual a sua opinião? Como você se insere? Estas áreas são amplas e de alguma forma apresentam inter-relação, o passo seguinte é um maior aprofundamento e identificação nas prospecção que de alguma forma contribua para desenvolvimento do país e conservação ambiental.

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *