Dia Mundial da Água 2017: Águas residuais

Sabe-se que a água, além de valiosa à vida, possui inúmeros usos dentro da estrutura social e econômica da sociedade. Visando ampliar a discussão sobre a importância da preservação da água para a vida no planeta, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em 22 de dezembro de 1992, instituiu, através da resolução A/RES/47/193, o Dia Mundial da Água como sendo o dia 22 de março de cada ano. A data, comemorada a partir de 1993, tem como objetivo focar a atenção em temas pertinentes ao presente e ao futuro das águas doces no planeta, propiciando discussões sobre uma gestão sustentável dos recursos hídricos. A cada ano, a entidade responsável pela coordenação dos trabalhos de água e saneamento das Nações Unidas, a UN-Water, escolhe um tema para o Dia Mundial da Água¹. Para o ano de 2017, o tema escolhido foi “águas residuais” (wastewater).

Segundo o site oficial do “World Water Day”, um dos objetivos desta edição é garantir disponibilidade, gestão sustentável da água e saneamento a todos até 2030 e reduzir pela metade a proporção de águas residuais não tratadas, buscando deste modo aumentar a reutilização segura da água. Atualmente, segundo a ONU, mais de 80% de todas as águas residuais do mundo retornam à natureza sem tratamento, o que contribui para a poluição do meio ambiente.

O termo “água residual” pode ser definido como todo o volume de água que teve suas características naturais alteradas após o uso doméstico, comercial ou industrial (o popular “esgoto”). Essas águas possuem um grau de impureza que varia de acordo com o uso a qual foram submetidas, mas que geralmente contém agentes contaminantes e prejudiciais ao meio ambiente e aos seres vivos. Segundo um estudo da Trata Brasil de 2015[1], que utilizou dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS, 2014), 17,5% da população brasileira ainda não é atendida com abastecimento de água tratada. Este número representa mais de 35 milhões de pessoas. Os índices de coleta e tratamento de esgoto variam de região para região. Em 2013, de todo o esgoto gerado no Brasil, somente 48,6% era coletado e, do total, apenas 39% era tratado[2].

O Dia Mundial da Água é uma oportunidade de aprender mais, refletir sobre os problemas que envolvem a água e promover debates com a sociedade, a fim de tomar atitudes que façam a diferença e promovam o uso racional de água.

 

Referências:
Trata Brasil: disponível em “http://www.tratabrasil.org.br/ranking-do-saneamento-2015”. Acesso em: 21/03/17.
United Nations: disponível em “http://www.un.org/en/events/waterday/”. Acesso em: 21/03/17.
United Nations: disponível em “http://www.un.org/en/events/waterday/background.shtml”. Acesso em: 21/03/17.
Trata Brasil: disponível em: “http://www.tratabrasil.org.br/deficit-em-saneamento-basico-no-brasil”. Acesso em: 21/03/17.
World Water Day: disponível em “http://www.worldwaterday.org/”. Acesso em: 21/03/17.

 

[1] Estudo Trata Brasil “Perdas de Água: Desafios ao Avanço do Saneamento Básico e à Escassez Hídrica – 2015”
[2] Estudo Trata Brasil “Ranking do Saneamento – 2015”

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *