Trecho de vazão reduzida: avaliação

Nesta semana concluímos a sequência de textos sobre Trecho de vazão reduzida de hidrelétricas com uma metodologia de avaliação. Esta avaliação passa pelos seguintes elementos
1. Usos da Água: Os usos da água que podem ser afetados são os usuais: abastecimento de água de população, irrigação, hidrelétrica, navegação ou recreação. O efeito pode ser pela redução de disponibilidade no trecho;
2. Qualidade da água: A qualidade da água pode ser afetada pela combinação de alteração do escoamento e nível no tempo e espaço e a entrada de carga poluente, ou alteração das condições do trecho afluente;
3. Condições Ambientais: as condições ambientais dependem das alterações de vazões e os potenciais impactos resultantes quanto ao seguinte: icitiofauna, criadouros e na mata ciliar do curso d’água, entre outros;
4. Aspectos Econômicos e Sociais: elementos econômicos e sociais de áreas limítrofes como: redução de acesso a água, navegação e acesso; divisão de propriedades, entre outros.
5. Condicionantes ambientais, Cênicos e paisagísticos: Os aspectos que envolvem áreas de conservação ou proteção ambiental devem ser verificados. Os condicionantes naturais existentes de grande valor cênico e paisagísticos relacionados com o interesse público e turístico devem também ser examinados.
A Figura abaixo caracteriza esta avaliação que deve ter uma conclusão integrada destes elementos. Um dos itens principais é o de avaliação ambiental e tem sido tratado, como discutido nos artigos anteriores apenas dentro do contexto de vazão mínima.
O consenso internacional indica a necessita de avaliar o hidrograma e seus principais componentes retratados pelas: vazões mínimas, pulso de inundação e vazões máximas. A primeira representam as estiagens, o seguinte as inundações frequente e os últimos as inundações maiores. A tabela abaixo retrata o que examinar dentro de cada um destes períodos.

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *