Uso total da água (Artigo 3 de 4)

O uso da água depende de uma demanda que possui vários componentes. Atualmente entende-se que a demanda da água “direta” é o uso da água nas residências e prédios, que chamamos aqui de Qd. Recentemente, John Anthony Allan introduziu o conceito de água virtual (no Brasil este conceito tem sido traduzido por pegada hídrica). A água virtual é a quantidade de água usada nos produtos que usamos ou consumimos Qv.  

O consumo total é entendido atualmente como a soma destas vazões. No entanto, esta equação não fecha o ciclo de sustentabilidade, já que, ao usarmos a vazão, uma parte retorna para os rios contaminada e o ciclo não se fecha. O ciclo de sustentabilidade somente seria fechado se a água que retorna estivesse limpa segundo padrões de uso aceitos. Na maioria dos países em desenvolvimento isto não ocorre. Portanto, qual seria a vazão usada pela natureza para fazer o serviço que a sociedade não faz? Chamamos aqui de “vazão de subsídio”, porque é a vazão que o meio ambiente tem que prover para diluir o efluente e mantê-lo em condições de ser usado. Esta vazão diminui na medida que os serviços de saneamento, conservação e eficiência da água seja sustentáveis.

Neste caso, para simplificar a análise, a vazão de retorno é uma parcela da vazão Qd no uso direto (também poderia ser a vazão de retorno não trata da água virtual).

A equação do uso da água tem três componentes onde se introduz a vazão mencionada acima Qs:

Qt = Qd +Qv + Qs

O último termo é introduzido para avaliar o subsídio que a sociedade recebe pela falta de tratamento dos seus efluentes.  Esta vazão representa a quantidade de água que o ambiente tem que buscar para obter sua sustentabilidade pelo efeito da falta de ação da população no seu uso deste recurso.

No caso do uso direto da água pela população, a mesma retorna 80% da vazão obtida dos serviços de abastecimento de água. Se esta água fosse tratada e não houvesse nenhuma carga para o meio ambiente Qs seria nulo. Mas todos sabemos que isto não ocorre. Portanto, temos que calcular a vazão que seria necessária para recuperar o sistema hídrico e fechar ciclo sustentável.

No próximo artigo vamos introduzir uma equação para a estimativa desta vazão e mostrar no caso brasileiro estes valores e mostrar a magnitude do subsídio que a sociedade está recebendo do ambiente.

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *