Tecnologias de gestão de recursos hídricos em Israel

Em países localizados em regiões áridas ou semiáridas, o abastecimento de água tende a ser mais escasso. Países como Israel são naturalmente mais propícios a sofrer com disponibilidade hídrica. Ao unir inovação e tecnologia, no entanto, a nação conseguiu encontrar uma solução para superar o déficit de água.

Essa situação crítica de escassez de água não é apenas temporária, mas algo característico no país. Com a maior parte do seu território sendo desértico, são poucas as fontes naturais de água doce, entre elas o mar da Galiléia e dois aquíferos subterrâneos. Devido à expansão do país e à ausência de outras fontes de água doce, tais recursos não foram mais suficientes para cobrir todos os usuários da água.

Dessalinização da água e reutilização de esgoto

Para mudar essa realidade, Israel investiu em estratégias de tratamento e abastecimento de água. O país passou a utilizar a água do mar Mediterrâneo no abastecimento da população. Construiu cinco usinas de dessalinização e, em vista disso, consegue ter 70% do seu consumo doméstico proveniente das plantas de dessalinização da água. Atualmente, também é o país que mais recicla água no mundo[1], cerca de 91% do esgoto é coletado e 80% é tratado, sendo reutilizado posteriormente na agricultura com uso de técnicas como irrigação por gotejamento, por exemplo. O país mais próximo de Israel nesse quesito é a Espanha, com 17% das águas residuais tratadas.

Usos na irrigação

O país utiliza duas técnicas de irrigação na agricultura, a por gotejamento, criada pelo engenheiro israelense Simcha Blass, e uma alternativa recente, que utiliza o mesmo conceito. A técnica de Blass consiste em conduzir a água através de canos ou mangueiras, nos quais são instalados gotejadores que farão a irrigação. O processo aumenta a produtividade da cultura, ao mesmo tempo que reduz o uso de água em até 50%[2]. A outra técnica utiliza bandejas de plástico, que são colocadas na base da planta, as quais irão canalizar o orvalho gerado diretamente para suas raízes. Além da economia de água (e consequentemente dinheiro), esse método traz outros benefícios, como impedir o crescimento de ervas daninhas e proteger a planta das altas e baixas temperaturas.

Em Israel, a cultura de que os recursos são finitos e que devemos utilizá-los de forma consciente é disseminada fortemente. No Brasil, aos poucos é possível ver uma melhora nesse sentido, mas que depende de esforços políticos e individuais para ser mais efetiva.

[1] Israel Is the Unsung Hero in Water Management
[2] Made In Israel – Part 2: Water

Referências:

Huffington Post: disponível em: “http://www.huffingtonpost.com/jennifer-schwab/israel-is-the-unsung-hero_b_9212810.html”. Acesso em: 15/05/17.
O Globo: disponível em: “http://oglobo.globo.com/sociedade/as-licoes-de-israel-que-sofre-com-escassez-de-agua-ha-67-anos-para-sao-paulo-15995107”. Acesso em: 15/05/17.
Made In Israel: disponível em: “http://www.cbn.com/special/made-in-israel/”. Acesso em: 15/05/17.

About Equipe de comunicação

Equipe da Rhama responsável pela gestão das mídias sociais, planejamento, produção, divulgação, e postagens de conteúdo no Aprenda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *