Drenagem urbana e cidade verde

As cidades em países em desenvolvimento têm se transformado em áreas áridas com muito concreto e pouca vegetação. Isto tem produzido vários efeitos como : (a) aumento da temperatura. A diferença de temperatura entre o centro de S. Paulo e a região de mananciais é de 16o C. Em regiões tropicais é como comprar um ticket para o inferno; (b) redução da infiltração e aumento da frequência das inundações na drenagem, urbana; (c) confinamento das pessoas em pequenos espaços com aumento de risco. Isto é resultado de fraca regulação e exploração excessiva do espaço urbano pelos empresários do setor imobiliário.
Com as inundações aumentando a frequência em vários locais da cidade, a ação do poder público tem sido de construir obras de drenagem com condutos e canalização que chegam a US$ 7 milhões/km2, um alto custo de investimento e manutenção.
De problemas como estes existem oportunidades de gestão do espaço e da drenagem de forma mais sustentável. Num Plano de drenagem é possível identificar os excessos de água no sistema existente de drenagem urbana e buscar identificar áreas para amortecimento, mesmo privadas. O Custo de amortecimento fica entre US$ 1 a 2 milhões/km2, da ordem de 6 vezes inferior. Além disso, para bacias a área necessária é da ordem de 1 a 2% da área da bacia. Estes espaços além de amortecer o escoamento podem ser transformados em espaços verde, criando uma nova paisagem de amenidades urbanas e reduzindo a aridez que a população tem sido confinada.
O planejamento e projeto destas áreas pode ser realizado por um programa de longo prazo integrado onde em cada espaço intervêm o planejamento urbano, habitação, tráfego, esgoto, resíduo sólido, drenagem e meio ambiente. dentro de uma visão integrada.
Praticar esta visão sustentável depende de decisores e técnicos em mudar o que custa muito caro e nos transforma em gado confinado sujeito a uma série de impactos. .

About Prof. PhD Carlos E. M. Tucci

Engenheiro civil, MSc, PhD, professor aposentado do IPH-UFRGS, sócio-fundador da Rhama Consultoria Ambiental. Autor de mais de 300 artigos científicos, livros, capítulos de livros. Experiência de mais de 40 anos na área, com atuação junto a empresas e entidades nacionais e internacionais como: Unesco, Banco Mundial, BID, ANEEL, ANA, Itaipu, entre outros. Premiado em 2011 pela International Association of Hydrological Sciences.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *